quinta-feira, dezembro 28, 2006

A Revelação de quem somos...

Passeando hoje de manhã pelas páginas eletrônicas do jornal me deparo com: Crise nos aeroportos, Contas de campanhas eleitorais rejeitadas, Votação na Câmara, Votação da cassação de deputado e então... "Filha de Daniele pode ter piorado por erro" Folha de São Paulo - Cotidiano - Repórter Laura Capriglione - Cotidiano.Ao ler a matéria e tomar ciência dos fatos parece-me que estou assistindo a uma peça de um Teatro do Horror e do Absurdo.Teatro do Horror...Daniele é a mãe da menina Victória, falecida no PS Infantil de Taubaté. A menina estava com 1 ano e meio aproximadamente de idade. Filha morta, mãe é presa acusada de, colocando cocaína na mamadeira, ter envenenada a filha. É presa imediatamente, na cadeia sobre espancamento de outras detentas, tem a mandíbula quebrada e várias lesões no corpo. Após 37 dias de Prisão inferno é solta. Laudo do Instituto de Criminalística aponta que o pó encontrado na mamadeira e na boca da menina não é cocaína...No PS, onde Victória foi atendiada, Daniele é agredida por uma médica que grita; "olha o que você fez assassina". Teatro do Horror.Inicia-se o Teatro do Absurdo...Victória é conhecida a tempos dos médicos do PS, há 4 meses frequenta a UTI do Hospital, a menina tinha uma vasculite cerebral de causa desconhecida que a deixava, nas crises, inconsciente por várias horas.Exames feitos, quinze dias antes de falecer, no Instituto da Criança do HC de São Paulo presume que erros na dosagem do medicamento podem ter causado o problema.No momento da morte de Victoria, o Diretor do PS está presente e sabe do laudo do Instituto. Não revela o fato, se omite, e a mãe é presa.Um dia, em uma das internações da pequena, no momento em que a mãe Daniele vai visitá-la é estuprada por um médico residente. Daniele denuncia. O delegado seccional de Taubaté tem laudo que confirma a violência. Residente é afastado por 30 dias, em sindicância nega tudo, retoma as atividades após expirar os 30 dias... fim do teatro do absurdo.Depois de todos esses fatos as favas as questões de aeroporto, as contas eleitorais, as votações da Câmara e mergulho no teatro da impotência, da indignação, do sem sentido, da desumanização que estamos, por nossa responsabilidade, deixando que cada dia impere mais e mais!O que conta hoje para mim:Uma morte por erro médico, conforme orienta o laudo.A omissão de uma pessoa com nível universitário, nível desejado por 100% dos cidadãos e atingido por 20%, nível de elite.A absurda presunção inicial de um Instituto criminal que sem base em provas determinou a prisão da mãe da criança.A impunidade de um iniciante que também ascendeu ao nível de elite.A dor, a humilhação, o medo, a injustiça cometida contra Daniele.A minha impotência e vergonha...Tem dias que a gente se senteComo quem partiu ou morreuA gente estancou de repenteOu foi o mundo então que cresceuA gente quer ter voz ativaNo nosso destino mandarMas eis que chega a roda vivaE carrega o destino prá lá ...


POSTADO EM 07/12/2006

Nenhum comentário:

Arquivo do blog