quinta-feira, abril 05, 2007

ELE QUER VOLTAR!



Folha de São Paulo - 05/04/2007

Em nota, Clube de Aeronáutica ataca governo
DA REDAÇÃO

O presidente do Clube de Aeronáutica, tenente-brigadeiro da reserva Ivan Frota, que criticara a atuação de Luiz Inácio Lula da Silva na condução da crise aérea, divulgou ontem nota em que ataca duramente o governo.

E por aí vai o delírio golpista do Sr Ivan Frota, elogiando 64, dizendo que os votantes em Lula são acostumados a corrupção, portanto corruptos.

Não sabe ele, ou não quer recordar, que muitas das mazelas, dos políticos corruptos e da falência do sistema, são frutos dos governos militares nascidos em 64.

Escreve ele na nota: "Que a comemoração de mais um aniversário do vitorioso momento de 64 possa servir de alerta a aqueles que ainda têm esperança de implantar, no Brasil, um retrógrado regime bolchevista. Que não tentem isso novamente, porque o povo e as Forças Armadas, mais uma vez, irão às últimas conseqüências para evitar que tal aventura tenha sucesso".

Regime Bolchevista? Coisa velha, caquética e ultrapassada.

É melhor o esqueleto voltar para o seu lugar, que é o armário...

quarta-feira, abril 04, 2007

A AMEAÇA QUE VEM DOS CÉUS (ou da torres de controle)

Notícia publicada no site www.uol.com.br :

04/04/2007 - 07h40
Controladores ameaçam parar de novo após a Páscoa

Brasília - Contrariados com o rumo das negociações com o governo, controladores de vôo civis e militares ameaçam aumentar a temperatura do caos aéreo depois da Páscoa. Internamente, as associações estariam organizando uma nova paralisação dos controladores civis. O dia do novo apagão aéreo ainda está sendo mantido em absoluto sigilo.

Pelo plano em gestação, o passo seguinte é outra ação para forçar o governo a retomar as negociações: desencadear um processo de pedidos de baixa coletivos dos controladores militares mais antigos - o que representaria, segundo um líder sindical ouvido pelo jornal O Estado de S. Paulo, a retirada de pelo menos 40% dos 1.500 que atuam no País.

Tem mais...agora a ameça... "Isso seria o caos e o governo é que teria de resolver sozinho", disse um sindicalista. "Os controladores, em sua grande maioria, não teriam problemas, já que todos têm mais de um emprego. Com as baixas, eles deixariam de sofrer e tocariam suas vidas em outras profissões, já que muito de nós somos médicos, dentistas, professores, vidraceiros e até taxistas."

Em sã consciência, já passaram dos limites. Quer dizer então, que uma classe (zinha) quer por o País de joelhos? Por que já extrapolou, não é mais o Governo é o País que esseszinhos querem submeter a sua vontade. Perderam a seriedade, perderam o bom senso, perderam a sobriedade.

Agora, é o exato momento para se negociar de forma profissional, buscar a desmilitarização do setor, buscar melhores salários e avanços em equipamento e tecnologia. Mas não, querem o enfrentamento... uma pena!

terça-feira, abril 03, 2007

Reflexões sobre a crise aérea


PROCRASTINAÇÃO - Deixar para outro dia, ou para um tempo futuro, por motivos repreensíveis; adiar: Procrastinar tarefas. Delongar, demorar, retardar: Procrastinar uma decisão. vint 3 Usar de delongas
A crise dos aeroportos se arrasta há 06 meses, tempo suficiente para que, se não resolvida, ações consistentes fossem tomadas com esse objetivo.
O governo Lula bobeou e abriu uma brecha, uma fenda enorme, para a oposição e para os golpistas de plantão. As lições com a CPI do mensalão parece que não foram aprendidas. Lula naquela época ficou por um fio e só não caiu, ou perdeu a eleição por arrogância da oposição que se sentiu que já havia terminado com o seu governo e relaxou no embate.
Agora porém, eles, a oposição, podem ter aprendido a lição (depois do acontecido no último final de semana com a greve dos operadores, a ordem de prisão dada pelo Comando da Aeronáutica, a revogação da mesma ordem por Lula, a negociação aberta com os controladores e o descontentamento da Forças Armadas por essa decisão), estão colocando lenha na fogueira da desestabilização.
No episódio da contra ordem de Lula, dada nos EUA, à prisão dos sargentos decretada pelo Comando da Aeronáutica, tudo indica que as informações fornecidas e as avaliações enviadas ao Presidente pelo grupo governamental que gerenciava a crise aberta pela greve e consequente pânico instalado nos aeroportos, foram imprecisas.
Faltou avaliar como as Forças Armadas e principalmente a Aeronáutica se sentiriam com a desautorização dada. Não adianta, e é bobagem, contra argumentar que o Presidente é o Chefe Supremo da Forças Armadas, assim reza a Constituição, isso só esta no papel e não na cabeça dos envolvidos. Não somo maduros, democraticamente, e especialmente os militares, para aceitar e concordar com esse postulado. E com a contra ordem dada a oposição e a mídia atiçam os militares alegando desrespeito.
Presidente Lula, se você, como tudo indica, não tivesse PROCRASTINADO nessa questão aéro crítica, talvez a coisa estivesse em céu de brigadeiro.

Arquivo do blog